Quando as histórias ensinam…

By on 9 de maio de 2017

O Ramo Lobinho é o Ramo do Movimento Escoteiro que mais precisa de elementos lúdicos. Baden Powell, ao pensar nas diretrizes essenciais ao Ramo, junto com Vera Barclay, instituíram a necessidade de um fundo de cena que desse ao Ramo uma postura atrativa às crianças de 07 a 11 anos de idade. Escolheu-se, para isso, a adoção no Ramo do Livro da Jângal, escrito por Rudyard Kipling, traçando o caminho de Mowgli na Alcateia, desde sua chegada até a sua saída.

Para se aprender a viver na Alcateia, é preciso conhecer a História da Jângal e diariamente tentar exercitar as Leis da Selva para que possamos nos libertar de vícios e comportamentos que não são positivos na sociedade. Neste contexto, o Velho Lobo, enquanto irmão mais velho, tem o poder de transmitir os conhecimentos ancestrais que ele mesmo vive, sendo exemplo para a Alcateia no cumprimento às Leis e à Promessa dos Lobinhos.

Para que os jovens aprendam, é preciso que algo lhes seja despertado, sua curiosidade seja aguçada e seu senso de comprometimento seja firmemente formatado pelo ideal de tornar o mundo um lugar melhor. É só através de uma metodologia atrativa, progressiva e desafiadora que os lobinhos sentem-se despertos a conhecer o mundo. Canções, jogos, histórias fazem parte desse universo que dará, ao longo da vida escoteira, um ganho exponencial para todo o Grupo Escoteiro.

Em Projeto de Insígnia da Madeira do Ramo Lobinho, estamos propondo caminhos para que os Velhos Lobos possam dar conta das peculiaridades do Ramo, tornando cada atividade conectada com o universo da Jângal. Neste sentido, conhecer os personagens e como eles se relacionam com a vida de Mowgli (exemplo dos lobinhos na ascensão a escoteiro) e como cada um tem características importantes na formulação da própria personalidade do Menino-Lobo.

Em breve, mais informações.
Sempre Alerta Para Servir o Melhor Possível!