Cuida para que tuas ações sejam as mesmas dos teus discursos

By on 4 de junho de 2017

Amados Chefes do Movimento Escoteiro, Sempre alerta para servir o melhor possível!

Quando realizamos a nossa Promessa, momento em que entramos, de fato, na fraternidade mundial, fazemos um juramento para que sejamos pessoas melhores a fim de que tornemos o mundo também um espaço melhor, conforme nos indicou Baden Powell. Daí nosso compromisso de perceber o mundo como uma escola, a vida como exemplo maior e, nesse sentido, o melhor instrumento para gerar modificações de comportamento.

Sabemos todos das Leis que regem o Movimento Escoteiro e, baseado nisso, comprometemo-nos para que o mundo seja um lugar muito melhor porque, em nossa vida, temos o compromisso de fazer tudo melhor. Respeitando a todos e todas, construindo relações estáveis e felizes de tal maneira que o que fazemos deve ser cada vez mais próximo do que pregamos como Chefes Escoteiros. Discurso e prática devem caminhar lado a lado.

Palavras podem comover mas bons exemplos podem de fato mudar vidas. Nesse sentido, ser o Chefe um modelo a ser seguido pelas crianças e jovens pertencentes ao Grupo Escoteiro é essencial para que ele vá, naturalmente, modificando sua postura desajustada que, porventura, exista. Sabendo que o Chefe Escoteiro é, essencialmente, um irmão mais velho, a imitação ocorre naturalmente, os trejeitos, os pensamentos, os comportamentos muitas vezes são copiados e assimilados como sendo natural e fazendo parte de seu repertório comportamental e podendo ver materializado o que nós pregamos tão fortemente.

Nesse sentido, adotar hábitos saudáveis, comportamentos mais centrados, demonstrar afetividade e comprometimento nas atividades que se desempenham torna às crianças e aos jovens uma compreensão direta e torna possível enxergarem a modificação, trocando seus desvios e vícios mediante uma percepção de possibilidade em modificar já que o Chefe, seu irmão mais velho, mostrou na prática ser possível transpor certas barreiras. Mowgli, na História da Jângal, vence seus medos ao exterminar Shere Khan, o tigre que desde tenra idade buscava comê-lo. Esse simbolismo trazido com a morte de Shere Khan é também necessária para que passemos nosso repertório de desafios e passemos a avançar. Nossas inseguranças, nossos medos, nossos desafios diários.

Cuidemos para que nossa teoria, nosso lastro teórico seja também exequível e materializado, isto é, o que dizemos seja naturalmente próximo da nossa prática como escoteiros e fora das nossas atividades escoteiras. Importante é traduzir os princípios escoteiros através de nossa prática do Método, sem invencionices, sem discursos vazios, sem grandes viagens para dentro de um universo paralelo e alienado do mundo. Nosso compromisso é com a promoção de todas as possibilidades que nossos jovens aspiram sejam naturalmente alcançadas, mediante o que eles desejam e nós temos capacidades. É sabido que o escoteiro caminha com sua próprias pernas e isso se organiza não apenas nas nossas práticas discursivas mas tão somente na organização de um trabalho de implantação do que BP determinou como Método Escoteiro.

A todos e todas, meus cordiais e fraternos abraços.
Sempre Alerta Para Servir o Melhor Possível!