Quando o caminhar é a essência da transformação

By on 13 de novembro de 2017

O Movimento Escoteiro se utiliza de situações práticas para construir e traduzir valores. Em outras palavas, ele utiliza-se de linguagem e metodologia próprias do Método Escoteiro para gerar uma educação significativa e prática para o desenvolvimento dos valores sociais a que se deve atender em prol do desenvolvimento satisfatório para a Nação. Por obvio não se quer produzir sujeitos alheios à vida e ao cenário social e político, mas, ao final do processo de adestramento contido no programa escoteiro, obter um sujeito ativo em relação ao futuro do seu País, dando o seu melhor para contribuir positivamente, na medida do possível, com habilidades e competências atrelados a um sentimento de cumprimento de deveres para com Deus, a pátria e o Próximo, conforme enunciado na Promessa e aceitação das Leis Escoteiras.

O Método Escoteiro é assim desenvolvido para que possa permitir às crianças, jovens, adultos e idosos (de espírito jovial, claro), de posse das ferramentas necessárias, tornar o mundo um lugar melhor, como bem enunciou BP, nosso fundador. Nesta seara, temos uma observação bastante pertinente a ser feita: o método escoteiro só pode funcionar corretamente onde se permite a vivência das Leis e da Promessa de maneira livre, isto porque reflete a aceitação plena e o compromisso de seguir o caminho da retidão, da justiça e da empatia pelo resto da vida.

Dos lobinhos à Chefia o Método Escoteiro segue o mesmo esquema de adestramento. Para muitos o termo adestramento pode significar acepções negativas, de repressão, tortura, ou quaisquer outros referenciais negativos. Para nós, o adestramento significa tão simplesmente o que ele o é, o treinamento, a modelagem para obtenção de um comportamento social positivo em relação à comunidade em que se vive. O membro da fraternidade mundial dos escoteiros deverá ser um símbolo (não uma utopia) do serviço em favor d0 desenvolvimento do mundo, corroborando com as Leis e a Promessa. O processo de adestramento consiste em fazer o indivíduo enxergar suas limitações e, de posse desse conhecimento, com o auxilio do adulto (mesmo que seja através de um formador nos cursos de formação dos adultos), possa ter um caminho mais tranquilo para obter o êxito necessário.

Justificando o título desse breve artigo, o caminhar (tanto dos ramos quanto das equipes – matilhas, patrulhas ou equipes de trabalho), isto é, a ação de movimentar e movimentar-se é o próprio caminho para transformar a sociedade, reduzindo suas patologias sociais advindas em grande medida do imobilismo e passividade pregadas pela grande mídia em favor da tradução dos verdadeiros atos de uma vida escoteira: transformar o mundo através de uma autogestão responsável dos grupos em que os indivíduos trabalham na coletividade para solucionar problemas (e não causar mais deles), motivo pelo qual muitas vezes somos reconhecidos como pessoas “diferentes” por não apenas idealizar um mundo perfeito mas contribuirmos de acordo com nossas possibilidades, para consubstanciar esse mundo.

Fraternos abraços, um forte aperto de canhota.

Sempre Alerta Para Servir o Melhor Possível!